Quem jamais teve aquele temor, ao falar com alguém, de achar-se com um mau hálito? O mau hálito, denominado cientificamente de halitose, pode surgir de maus costumes de saúde bucal e é capaz de ser sinal de outras enfermidades. O bafo ainda pode piorar de acordo com os tipos de refeições que você consome e outros hábitos de vida pouco apropriados.

Preste atenção no que você consome

Basicamente, todos os alimentos consumidos começam a ser “quebrados” na sua boca. Se você comer alimentos com odores intensos (como alho ou cebolas), e, logo após, escovar e utilizar fio dental, ou até mesmo lavar a boca, vai meramente cobrir o odor provisoriamente, ele não irá desaparecer completamente.
Se você não escova os dentes todos os dias, vestígios de alimentos podem ficar na sua cavidade bucal, provocando o crescimento bacteriano entre dentes, ao redor das gengivas e na língua. Isso causa o mau hálito. Os enxaguantes bucais antibacterianos são capazes de ajudar a diminuir os micróbios, contudo não resolvem o inconveniente. Além disto, quem utiliza próteses tem que conservá-las limpas no sentido de não criar um ambiente próprio para as bactérias que originam o mau hálito.

Cigarro é um veneno

Tragar ou mastigar produtos à base de tabaco inclusive tem probabilidade de ocasionar mau hálito, manchar seus dentes, minimizar a sua possibilidade de sentir o gosto das refeições, assim como irritar suas gengivas.
O péssimo hálito persistente ou o mau gosto na boca é capaz de ser um sintoma de doença das gengivas ou periodontal. Essa enfermidade é causada pelo ajuntamento de placa nos dentes. Como as bactérias causam uma formação de substâncias que inflamam as gengivas. Se não medicada, essa doença alcança a mandíbula.
Outras causas do mau hálito são os aparelhos de dente mal ajustados, infecções bucais por fungos e cáries dentárias.

Boca seca também é outro distúrbio

A condição médica de boca seca ainda tem chance de ocasionar hálito ruim. A baba é fundamental para a boca paralisar a placa bacteriana e lavar células mortas que se ajuntam na língua, gengivas e bochechas. Essas células decompõem-se e podem causar péssimo hálito. Uma cavidade bucal ressecada pode ser efeito colateral de inúmeros medicamentos, doenças das glândulas salivares e respiração progressiva pela boca.
Muitas outras enfermidades podem ocasionar o mau hálito. Infecções respiratórias, como pneumonia ou bronquite, contaminações crônicas, diabetes, refluxo crônico e doenças no fígado ou no trato urinário.

O que posso fazer com o objetivo de evitar o mau hálito?

O hálito ruim é capaz de ser reduzido ou mesmo evitado, para esse fim, pratique uma boa higiene da boca. Escove os dentes pelo menos duas vezes por dia. Utilize pasta de dente com flúor para tirar sobras de alimentos e placa bacteriana. Recorde-se de escovar a língua também. Substitua sua escova de dentes a cada dois ou três meses. Utilize fio dental ou um limpador interdental uma vez diariamente para eliminar parcelas de alimentos acumuladas e placas. Lave a cavidade bucal com enxaguante antibacteriano duas vezes por dia. Quem usa dentaduras deve tirá-las à noite e higienizá-las meticulosamente antes de pô-las na boca na manhã seguinte.

Visite seu dentista constantemente

saude-dental-mau-halito O ideal é ir ao dentista no mínimo duas vezes por ano. Ele vai realizar um exame oral e limpeza profissional dos dentes e poderá detectar e curar doenças periodontais, boca ressecada ou outros problemas que possam ser motivo de hálito ruim.